Do you speak English?

Sinto-me uma máquina de fazer testes de inglês. Eu que não sou dada a línguas. Lembro-me de perguntar a uma professor porque não aprendia inglês como se aprende matemática. Nunca fui brilhante a inglês no secundário porque também nunca estudei realmente inglês. Estava atenta nas aulas, praticava meia-dúzia de exercícios de gramática e ia para os testes assim. Era assim que eu estudava matemática. Estava atenta às aulas e resolvia exercícios, até achar que estavam suficientemente mecanizados. E ia, igualmente, para os testes, assim. Claro que em inglês não funcionava. Era uma língua, feita por pessoas e não só por gramáticas. Tem vocabulário, o qual não se mecaniza ou compreende, decora-se. Simplesmente decora-se. Também nunca tive péssimas notas e por isso nunca me preocupei.
Hoje falo inglês e dou passinhos no alemão. Continuo a não ser brilhante a inglês. Continuo a não decorar vocabulário com facilidade. Mas estudo. Vejo séries só em inglês e leio muitos artigos só e apenas em inglês. Juntando a isso, agora sou mais interessada em saber do que antes (essa coisa da inteligência vs. interesse dava um bom post). Agora faço tudo com mais interesse, mais afinco e, consequentemente, aprendo mais. 
Estou a preparar-me para fazer um exame de inglês, no qual gostava de ter A. Não sei se isso vai acontecer. Por muito que estude, o meu cérebro auto-limita a aprendizagem ao estabelecer uma boa comunicação. As expressões, as malditas das expressões, do inglês como ele é e que o distingue de uma tradução barata, não entra fácil para estes lados. Mas eu esforço-me. Tanto que me sinto uma máquina. Estou precisamente a começar o terceiro teste do dia. Uma máquina de fazer testes de inglês.
Próximo post:
« Próximo post
Post anterior:
Post anterior »
0 Comentários fofinhos